Abril de 2018: apesar da crise, o Facebook continua crescendo.



A compreensão do mercado, seja ele qual for, é o ponto de partida para um trabalho bem feito.

Não é a toa que sempre começo minhas aulas com um apanhado geral sobre o digital. Quem foi meu aluno já conhece a pesquisa que o We Are Social e o Hootsuite divulga periodocamente. 

Os dados, quando bem analisados, viram informações valiosíssimas sobre o comportamento do consumidor nas redes sociais. A última foi divulgada esse mês (abril de 2018) e uma publicação do The Next Web sobre o assunto me inspirou a fazer algo parecido para o contexto brasileiro.  

Acho importante desenvolvermos o pensamento analítico. É mais fácil entender um todo complexo depois de dividi-lo em pequenas partes.




Por exemplo, fica claro que o facebook não vai morrer tão cedo após descobrir que o número de novos usuários na plataforma aumentou 100 milhões de pessoas nos primeiros 3 meses desse ano - mesmo com toda a polêmica sobre o vazamento de dados. 

Somos 3,3 BILHÕES de pessoas nas redes socias. 

Já conversei com bastante gente sobre “o fim do facebook”. Meu ponto de vista é sempre o mesmo: não vai morrer e sim é possível viver organicamente. Ninguém conseguiu me convencer do contrário ainda. 

O que vejo muito é falta de entendimento de que velhos comportamentos não vão nos levar a novos resultados. Se a plataforma mudou, devemos também mudar nosso comportamento dentro dela, correto?


A internet não para
A utilização da internet como um todo cresceu 7% desde Abril de 2017. Somos mais do que 5 bilhões de pessoas acessando diariamente a rede mundial de computadores. 




As redes sociais apresentaram um crescimento de 13% em usuários ativos! E a verdade é que esse número vem aumentando de forma cada vez mais acelerada. 390 milhões de novos usuários criaram perfis em redes sociais nos 12 meses anteriores a março, quase 8% mais rápido do que nos 3 meses anteriores.


Isso significa que mais do que um milhão de pessoas criam perfis nas redes sociais diariamente. Uma média de 12 novos usuários a cada segundo! Especificamente o facebook ganhou 67 milhões de novos usuários nos últimos 3 meses.


Esse crescimento é visto em todo o globo, inclusive nos países que foram fortemente impactados com a história do Cambridge Analytica. O número de usuários nos Estados Unidos, o país mais impactado, foi de 10%!

Na índia aumentou em 27%. Na Indonésia, 26. No México, 12. Todos os países tiveram essa média de crescimento. MENOS QUEM? O Brasil. 


Brasil antissocial?
Nos últimos 3 meses o número de usuários ativos no Brasil cresceu 0%. Me ajudem a pensar o por que isso pode ter acontecido… O que será que tirou o interesse das pessoas em socializar na internet nos últimos 3 meses? 

Eu me arrisco a dizer que é consequência do período político turbulento misturado com o ódio disseminado - estamos legais de tragédias, não precisamos de mais. A estagnação da economia pode ser um fator de influência também.

Outra possibilidade é que o brasileiro seja realmente consciente sobre os perigos da rede e estejam evitando o acesso, mas acho beeem difícil que isso seja realmente a causa. Deixo esse questionamento aqui para vocês me ajudarem a solucioná-lo.



É oficial: o público jovem REALMENTE está saindo do facebook
Não é de hoje que escutamos essa história. Percebemos no dia a dia: nosso primo adolescente só usa o snapchat, a sobrinha deletou a conta do facebook. Mas essa é a primeira vez que os números são tão expressivos. Os dados mostram que o número de usuários entre 13 e 17 anos caiu em 10 milhões desde janeiro - uma queda de 6,5%.

Pense nisso próxima vez em que for realizar um trabalho para alguma marca com público jovem. 

No final do ano passado comecei um job com um colégio de Porto Alegre. Precisávamos planejar e implantar uma nova estratégia de conteúdo para as redes sociais. A pesquisa que aplicamos acusou que uma grande porcentagem dos alunos usavam APENAS o snapchat. Era o que precisávamos para a revolução: deletados o twitter, criamos um perfil na rede do fantasminha. Tive que criar um passo a passo de utilização para os gestores e tudo. 


Apesar disso, o número de pessoas mais velhas entrando no facebook aumentou. Foram 17 milhões de novos usuários com mais 45 anos nos últimos 3 meses, sendo 3 milhões desses mais velhos do que 65 anos.

A média de idade hoje de um usuário do facebook é de 30 anos. Logo, logo esse gráfico vai mudar. Se você tem uma campanha a longo prazo, já tenha em mente que o público do facebook está envelhecendo. 



E o que as pessoas curtem?
Cristiano Ronaldo tem a página mais curtida. Seguido pelo seu time, Real Madrid. Depois Shakira, FC Barcelona e Vin Diesel. Todos ultrapassaram os 100 milhões de curtidores. 

Esportes, música e filmes dominam o Top 20 do Facebook. 


Apesar dos números impressionantes, alguns dados do próprio insights da plataforma nos dizem que um usuário comum acompanha de verdade uma média de UMA página. 

As pessoas em geral não têm interesse em receber no facebook notícias sobre celebridades. Bem como divulgações de marcas e anúncios do governo. No final das contas o facebook se tornou mesmo aquilo que se propõe, um ambiente para você expressar suas ideias e socializar com amigos e parentes.

Ao mesmo tempo, é interessante observar que o usuário normal clica em média em 10 anúncios por mês. Nós, mulheres, clicamos em 12! Ou seja, o facebook é uma rede de socialização com espaço para mídia. Basicamente isso. E ponto. 

Quer que sua marca apareça organicamente? Então entre na conversa!


Outro ponto que achei bem interessante foi que a média de compartilhamento de conteúdo por pessoa é de 1 por mês, enquanto a média de comentários em posts é de 4 para homens e 7 para as mulheres. Será resultado do esforço que observamos nas marcas desde as mudanças de algoritmo do facebook para conversar mais? :)

Eis uma felicidade! Finalmente encontrei um número confirmado pra uma pergunta que me fazem com frequência: a média de engajamento em publicações é de 4,08% da base total de fãs. Caiu 3% desde a última pesquisa, em janeiro. 

Vídeo continua sendo a principal aposta para o engajamento.
Quando falamos apenas de vídeo essa média sobe para 5,87%!


E o alcance?
Esse bichinho, tadinho, tá caindo em uma velocidade ainda mais rápida. Foi 17% nos últimos 3 meses.

A pesquisa diz que a média de entrega do facebook é de 8,9% da sua base de fãs. Eu atrevo a sugerir que esse número seja menor para a grande maioria das marcas. Como a sua se comporta?


Me questionei se por causa dos escândalos ou por que começamos a entender que não só de facebook vive a internet, mas 13% menos empresas anunciaram na plataforma no primeiro trimestre de 2018, se comparado com 2017. 

O que reforça a suspeita de que a queda do alcance esteja intimamente ligada a diminuição do número de anunciantes. Facebook diminui o alcance para incentivar nosso investimento em mídia.


O crescimento do instagram


O instagram está chegando na marca de 1 bilhao de usuários. Suspeito que em poucos meses essa meta será batida. A rede cresceu 35% a mais do que o mesmo período no ano passado.

No meu ver, muito disso se dá graças ao boom do conteúdo efêmero (Stories), que promete crescer ainda mais nos próximos messes e ultrapassar o uso do feed normal. Também porque a plataforma é mais "limpa" de anúncio, de conteúdo inútil e de ódio.

Esse dado conversa diretamente com o que observo em aula. Sempre pergunto para os alunos quais são suas redes sociais preferidas. O resultado do levantamento é sempre o mesmo: Instagram. Porque é mais dinâmico. Porque é visual. Porque não é "chato" como o Facebook. 


O público por lá é predominantemente feminino, enquanto no twitter e facebook prevalecem os homens. A média de idade é um pouco mais baixa também, ficando em torno de 24/25 anos.


E diferente do comportamento observado no facebook, os brasileiros entraram sim no instagram. Um crescimento de 7% desde o final do ano passado.

Preste bastante atenção nessa plataforma na sua próxima estratégia, viu? Se algum cliente me solicitasse conteúdo para apenas UMA rede social, provavelmente essa seria minha aposta.


Selena Gomez ainda é a celebridade mais seguida, deixando de lado o top 1 do Facebook, Cristiano Ronaldo. Isso sugere que nessa plataforma o público está mais aberto a receber um conteúdo de festa/lifestyle/backstage mais do que no facebook.


As marcas Nike e NatGeo também aparecem nessa lista. Por que será? Eu rapidamente associo isso a alguns fatos:

- São marcas que trabalham o instagram desde seu primórdio
- E trabalham muito bem! 
- O conteúdo é muito mais interessante/útil do que anúncio de produto
- A Nike é uma lovebrand que engarea seguidores onde quer que esteja
- E pra NatGeo nada melhor do que uma rede extremamente visual para disseminar seu conteúdo lúdico.



Tá, mas o twitter morreu, né?
Calmaí, vivente! Morreu nada. Os números por lá não são tão expressivos porém a ferramenta é excelente para atingir determinados públicos.

A primeira coisa que chama atenção é a predominância masculina na plataforma.


O público lá é mais velho. O usuário médio tem 30 anos. E, na verdade, essa plataforma 40% mais usuários de 35 do que usuários de 25. Serão os dinossauros da internet, tipo eu? O pessoal que quando chegou aqui era tudo mato. Que criou o perfil no twitter quando o orkut ainda existia e estão lá, apegados ao formato mais dinâmico da plataforma. Hahaha (tô rindo mas é de nervouso)


Também é legal notar que os twitteros usam muito mais o desktop se comparado às redes. Do total de usuários, 17% acessam a rede pelo computador, enquanto no facebook esse número cai pra 9%.

Na próxima campanha no twitter, lembre-se: mobile first sim, mas o desktop tem todo o seu valor!


E apesar da base menor de usuários, no twitter existem 3 celebridades com mais de 100 milhões de seguidores (Katy Perry, Justin Bieber e Barak Obama). Muitas outras celebridades aparecem na sequência com número também expressivo. 

Isso demonstra o interesse do público em estar pertinho dos seus ídolos no twitter. Ou seja, o público espera um relacionamento mais direto e próximo nessa plataforma. 

Dentro da lista das 20 maiores contas, observamos uma empresa - a CNN. Reforçando o que já sabemos: o twitter é uma boa fonte de informação. Afinal de contas, tudo acontece primeiro por lá.



Para concluir com chave de outro
Poderia ficar horas extraindo informações dessa pesquisa e no final das contas a conclusão seria a mesma: o facebook não morreu e não vai morrer. Nem o instagram. Nem o twitter. Podemos ficar tranquilos porque nossos empregos estão garantidos. 

Sigamos com nosso trabalho de excelência nas redes sociais. Por favor, sigamos com nosso trabalho de excelência. O mercado de social media como um todo só vai ser valorizado quando todos os profissionais também forem. 

Aproveite dados desse post e de outras fontes para planejar com sabedoria, criar conteúdo relevante e de qualidade - estrategicamente pensados para cada público/rede social, depois analise os resultados e refine constantemente. 

E para fazer minha parte e ajudar nesse ponto, ofereço a cereja do bolo para você que leu o post até aqui:

ARQUIVOS PARA FACILITAR NOSSA VIDA NAS REDES SOCIAIS

Estou liberando em primeira mão para o FMRP o toolbox com 12 materiais que considero essenciais meu dia a dia no trampo de social media. 

São eles:

1. Apresentação de Proposta de Estratégia e Gestão de Redes Sociais
2. Análise mensal e diária da concorrência
3. Briefing de Social Media
4. Calculadora de Valor-Hora
5. Cálculo de ROI Social Media
6. Orçamento de Social Media
7. Datas Comemorativas 2018
8. Organização interna de conteúdo
9. Planilha de curadoria de conteúdo
10. Planilha para aprovação de posts com o cliente
11. Plano Diário de Mídia
12. Apresentação para Análise de Resultados


Para fazer download, basta clicar aqui e pedir acesso aos arquivos. 
Você não vai pagar nada por isso, apenas terá seu emailzinho incluído no nosso mailing.

Faça bom uso. Pelo cliente, por você, por mim e por todos nós. :) 

Tamo junto!


-

Comentários