Informação, Experimentação e Relacionamento

Se a atividade do Relações Públicas é mediar e construir relacionamento entre marcas e públicos, eis a boa notícia do atual cenário: profissionais, temos muito mais trabalho a fazer. O mercado da comunicação mudou e muda a cada dia. O que antes era suficiente para manter marcas em contato com seus públicos, hoje, com a interação online e plataformas que permitem a usuários troca constante de informações, se transforma num mar de possibilidades e potencializa os espaços de diálogo. Assim como diz Nizan Guanaes, publicitário e sociofundador do Grupo ABC que adquiriu a CDN para ingressar na área de relações públicas, “o monólogo das marcas com seus públicos foi substituído pelo diálogo permanente e intermediado pelas relações públicas.” Acabou o monólogo, é preciso se relacionar. Com todo mundo. 

Nos dias 23 e 24 de setembro, a Associação Brasileira de Relações Públicas (ABRP) RS/SC promoveu o CongregaRP - Encontro Regional de Relações Públicas, com o tema “O valor estratégico das Relações Públicas na comunicação”. O evento aconteceu na Ulbra Canoas e teve por finalidade proporcionar networking entre alunos e profissionais de RP, gerar conhecimento e compartilhar experiências a partir de workshops e mesas redondas. 


No segundo dia, participei da mesa-redonda: “As possibilidade de atuação no mercado profissional” com as colegas de profissão Denise Pagnussatt e Cris De Luca. 


Ao abordarmos o que acontece no mercado de trabalho, contei um pouco da atividade na Fatto Comunicação e como vivemos este momento de transição. Notamos, diariamente, a necessidade de nos reinventarmos e repensarmos a comunicação dos nossos clientes, explorando novos modos de fazer relacionamento.

Neste desafio da reinvenção, um dos esforços é a ampliação das redes de contato e aproximação com os expoentes das mídias digitais. Influenciadores digitais, como o nome já diz, são aqueles que movimentam um grupo de pessoas online, de forma a influenciar modos de comportamento e consumo. Precisamos chegar perto de quem hoje fala de marcas para quem se abastece de conteúdo no ambiente digital, ou seja, quase todo mundo. E na maioria das vezes, de forma segmentada. E como se aproximar? Apostando na experimentação. Promover experiências com produtos, serviços e marcas, a partir do entendimento prévio sobre o que faz sentido e é de verdade no mundo do influenciador. Precisamos responder ao influenciador o porquê que determinada marca se insere no seu universo. Se a resposta foi aceita, serão boas as chances de um relacionamento duradouro para fortalecimento de marca e geração de novos negócios.

Por Alice Sonntag Kuchenbecker
Press & Events Manager do Fala Mais, RP
Relações-públicas na Fatto Comunicação

Comentários