[Autor Convidado] Aceita um cafezinho?



Mesmo depois de cem anos da profissão de Relações Públicas no Brasil, a maior parte da população, não sabe o que é, e o que um profissional de Relações-Públicas faz, dentro e fora das organizações. Você sabe o que é? E o que faz este profissional? Você já ouviu falar que servimos cafezinho? Destarte, vamos entender melhor o que esta profissão agrega na sociedade, e o que seus profissionais podem fazer.

Relações Públicas é um curso de graduação, da área de comunicação, que tem como objetivo primar os relacionamentos em todo tipo de organização, sendo ela pública do primeiro setor, privada do segundo, ou ONGs que utilizam verbas privadas para atividades públicas, fazendo parte do terceiro setor. Além, de habilitar o profissional na função de assessor de imprensa, auxiliando pessoas ou empresas na construção de uma boa imagem ou na reconstrução de uma imagem que foi danificada em alguma crise. Ademais, pesquisando e mapeando públicos para o melhor alcance das comunicações desejadas.

O profissional de Relações-Públicas promove ações de relacionamento, que busca atingir de forma conjunta ou separadamente todas as esferas hierárquicas e sociais dentro e fora de uma organização. Estabelecendo relações entre públicos internos e públicos externos que cada indivíduo ou organização possui. Os relações-públicas também organizam eventos, produzem instrumentos de comunicação, como elaboração de boletins internos, mala-direta, murais, e cartazes que auxiliam na execução de cada projeto de integração, projetos que têm como intuito estabelecer relacionamentos satisfatórios entre chefias e funcionários, governantes e cidadãos da sociedade. 

 Os empreendedores no Brasil, devido às altas taxas cobradas em forma de impostos, investem primeiramente no âmbito de administração e inovação, deixando de lado o profissional de comunicação que sustenta as relações, e fideliza seus públicos. E em virtude das explicações mencionadas, por uma questão de prioridades nos investimentos e a demanda de custos para a prestação de serviços e comercialização de produtos, contratam o profissional de Relações Públicas em suas organizações, justamente, depois dos relacionamentos quebrados, ou de sua imagem danificada com seus públicos externos e principalmente com seus públicos internos.

Ser Relações-Públicas é mais do que planejar eventos, mapear públicos e desenvolver projetos que promovam ou resgatam a boa imagem de uma organização. Exercer a profissão exige o domínio de construir bons relacionamentos, antes do querer estabelecer. O “servir café” é uma atividade que já faz parte do currículo de um Relações Públicas. Um café, assim com um suco, uma água, nada mais é do que uma forma gentil de receber alguém, estabelecendo relacionamento desde o primeiro instante de contato. E ganha um enorme valor quando cada detalhe em um relacionamento é fundamental. A não contratação de um relações-públicas ativo, dentro da maioria das empresas do país, e a contração imediata deste, nos momentos de crises, faz com que muitas pessoas não saibam o ser e o fazer das Relações Públicas, ou utilizem dela momentaneamente. 


Sobre a autora convidada:
Miriã Antunes
Graduanda em Relações Públicas na UniRitter. Atua como Assessora de Comunicação e Eventos na Sociedade Germânia, e é Embaixadora e Escritora Amadora no IG Somos o que a Vida Ensina. Quando descobriu, seu dom já tinha nome, Relações Públicas! Apaixonada por fotografia, chimarrão, flores e pessoas, acredita que sem relacionamentos bem consolidados nenhuma mudança positiva é possível, e que toda ideia pode sair do papel através de muito empenho e dedicação.

"Aprendi que não preciso me mudar totalmente, se aquilo que faço é capaz de mudar o mundo ao meu redor. Nunca desistir. Ir até o fim dos sonhos."


[ Esse é um post da série de autores convidados do Fala Mais, RP! Quer contribuir também? Envie um email para falamaisrp@gmail.com e venha falar mais sobre Relações Públicas com a gente!]

Comentários