Na semana do nosso centário, um pouco da nossa história.



Nesta semana as Relações Públicas completaram 100 anos de Brasil. Muitos acontecimentos marcaram a profissão, vem viajar com a gente pela história das Relações Públicas…

Em 1914, a chegada da empresa canadense The Light and Power Co Ltda, em solo tupiniquim foi o marco da profissão no Brasil. Foi nela que surgiu o primeiro departamento com o nome de Relação Públicas, chefiado por Eduardo Pinheiro Lobo, atualmente o patrono da profissão no país.

Apesar do pioneirismo e da importância do departamento, foi só a partir da década de 40 que passamos a ter movimentos mais significativos. Arranjos políticos e econômicos estavam acontecendo na época, fazendo com que aumentasse a importância da gestão da comunicação efetiva entre as organizações e seus públicos. Entre os acontecimentos mais importantes da época estão:

  • industrialização e a vinda de empresas multinacionais para o país;
  • desenvolvimento dos meios de comunicação;
  • surgimento de institutos de pesquisa, que se volta às pesquisas de mercado;
  • criação do primeiro Departamento de Relações Públicas com característica nacionais;
  • fortalecimento do Jornalismo Empresarial;
  • fundação da ABRP (Associação Brasileira de Relações Públicas).
Seguindo o curso da história, chegamos a um período nebuloso: a ditadura militar. Ainda há muito para se descobrir sobre essa época. Alguns pesquisadores, como Kunsch, apontam que o regime militar teve uma influência negativa para o reconhecimento social das Relações Públicas, fazendo com que a percepção de seu papel junto à sociedade fosse equivocada. A atividade foi, durante um bom tempo, considerada uma atividade suspeita e enganosa.

Mesmo com todo o cenário que se impunha, os anos 60 foram marcados por fatos muito importantes: a criação da Lei 5.377 de 11 de janeiro de 1967, que regulamenta a profissão e a abertura do primeiro curso superior da área, junto à ECA - USP. A partir desse momento as Relações Públicas deixa de ser somente uma atividade profissional e passa a ser uma ciência.

Aos poucos a profissão foi se consolidando e se adaptando à evolução da sociedade. Nos anos 90, o mundo inicia o seu processo de globalização. A partir desse momento a sociedade passa a ser impactada por constantes modificações. Tudo que parecia estagnado durante anos, passa a se movimentar em ritmo frenético.

O atual cenário para a prática das Relações Públicas é extremamente efêmero. Todos os dias passamos a ter novas referências, principalmente quando falamos em público/pessoas, nossa principal ferramenta de trabalho. O desenvolvimento das tecnologias e o surgimentos de canais digitais de comunicação muda drasticamente as formas de relacionamento, sejam eles profissionais ou pessoais.

Os RPs participaram desta transformação no modo de pensar e executar suas práticas. Passam à estar à frente de novas tecnologias. As empresas descobriram a eficácia da mídia social e a estão utilizando para estreitar o relacionamento com o consumidor final. Ou seja, a internet pode ser usada como veículo para desenvolver múltiplas atividades de Relações Públicas, cujo papel no ambiente digital está em tanto desenvolver estratégias que estejam em consonância com os objetivos da organização, quanto em conhecer os públicos para atingí-los de forma estratégica e assim gerir o relacionamento e diálogo entre as organizações e seus públicos.

A nossa profissão completa um centenário com uma cara nova, com um espírito motivado e sempre  se atualizando frente ao mercado e as necessidades das organizações. Uma comunicação eficaz e completa, somente os Relações Públicas podem oferecer.





100 ANOS COM MUITO AMOR! 
PARABÉNS PARA NÓS!



Comentários